terça-feira, janeiro 24, 2006

111. Saudade menina


A saudade é já menina
Quando os teus olhos brilham
E as palavras se quedam sufocadas
Nos lábios que insistem em sorrir.

Dentro de mim a doçura
Desprende-se da rebeldia do coração
E mesmo sem querer...
o carinho...
invade cada recanto da nossa essência e transborda...
num abraço que antecipa não a despedida mas o até já...
E se reparo que as mãos te tremem,
E se reparo que os traços do teu rosto
Procuram mascarar a emoção,
É porque os acordes que o silêncio nos devolve
são reflexo da sintonia do momento...

Inegável!

Inegável a empatia,
A partilha mágica do sorriso
ou o saber que por instantes
A única vibração palpável
Foi aquela que brotou,
Alheia a olhares indiscretos e incrédulos,
Sincera, suave e intensa,
Tão muda quanto gritante,
E que ecoou muito depois de teres ido...
Muito depois de ter acontecido...
Aquela que só é possível quando se pressente
a saudade, estando presente!

15 comentários:

Luís disse...

:-))) está a ver Maria? Era isto que eu vinha pedindo... então não é muito mais encantador? mais feliz?!:-)

olhe, eu fiquei feliz...gostei de perceber nas suas palavras aquela adorável caracteristica da paixão, onde ainda juntos se começa a sentir saudades....naquela fase onde os abraços se tornam ainda mais fortes numa tentativa de impedir que a outra pessoa vá embora nem que seja por momentos!

Ai não posso continuar a escrever sobre a paixão... lembrei-me agora que a Maria uma vez discitiu comigo por causa desse assunto!:-)

Olhe, já fui ver os seus outros quadros e os novos do Tino.Adorei aqueles dois com tons de azul sobretudo o casalinho dentro de água. Os meus parabéns.

beijinho e felicidades...

Maria disse...

:-))) Luís,
não vou discutir consigo a interpretação que fez e fico contente por ter gostado deste poema mas tenho que confessar que não foi escrito ao sabor da paixão, ainda que seja dirigido a alguém que considero especial. E digo “especial”, não da forma inerente aos enamorados mas às pessoas que tendo algo em comum, gostam da companhia um do outro e nutrem um tipo de admiração quase pueril.

Como referi, as palavras foram dirigidas, mas a alguém que tive o prazer de conhecer no meu local de trabalho, que muito em breve se deverá ir embora e que deixa saudades. Não se trata de uma paixão que nasce, de um amor que surge mas simplesmente de uma amizade, sincera e terna como todas o são.

Para concluir, acrescento que escrevi o que leu pouco depois de ter saído do trabalho e de termos falado sobre o facto dele deixar de trabalhar num local onde, durante um ano, encontrou várias pessoas que o marcaram positivamente.

:-) Lamento desiludi-lo mas a paixão continua longe do meu trilho... pelo menos neste aspecto.
:-) Sabe... não pude deixar de reler o que escreveu e sorrir. Porquê?! Porque da forma como se expressou pareceu-me que mereço mesmo a alcunha de “bicho do mato” com que algumas pessoas me brindam. :-)

Agora sim... quanto à exposição:
Os quadros que estão lá são um complemento da escrita, algo como emoções que não cabem nos poemas ou nos contos com que vou preenchendo os cadernos. Alguns têm histórias na primeira pessoa a apadrinhá-los, outros são puro registo de momentos isolados... e dito isto apenas me resta agradecer-lhe o ter voltado ao Angel’s e o carinho que tem revelado nas visitas a este blog e, agora, à exposição.

Um beijinho e muitas felicidades, claro!


Já me excedi novamente no tamanho da resposta. :-)

Pipo disse...

Maria, Maria,
pensei em n comentar mas tive q o fazer.
Gostei mt do q escreveste, só tenho pena q n fosse a paixão o mote. ;)
N achas q está na altura de sair do casulo?!

beijo

cbRicardo disse...

Gostei ... depois !
Como te disse, julgo que a Poesia nasce em ti de forma natural, sem esforço, as palavras retratam de repente a sensibilidade da tua Alma,face a uma situação. Neste caso, como referes, afectos, cumplicidades, amizades!
Ainda não "visitei" as tuas imagens, vou sair por uns dias, espero fazê-lo algures na proxima semana!

Bjinhos na bochecha, Maria!
A propósito como vai a História!

Maria disse...

Pipo,
eu gosto muito de ti mas tu falas de mais!! ;)
:)) Porque não sais tu do casulo?!

;) Beijinhos, lindo!
M

Maria disse...

Cbricardo,
a poesia nasce em mim... ou melhor a vontade de a escrever quando a preguiça ou o cansaço é tanto que não me atrevo a mais que isso.
Alguns dos poemas são reflexo das emoções que absorvo dos meus dias.
Este foi um exemplo disso.
;)
Quanto à exposição, vai estar até dia 10 de Fevereiro... se por lá passares agradeço. Espero que gostes.

Beijinhos
M

Maria disse...

cbricardo,
lembrei-me agora que não disse como estava a história... :)
vai bem mas estou num impasse terrível e que tenho que resolver muito em breve.

Assim que tudo estiver resolvido já envio o capítulo seguinte.
;)

Beijinhos

Paz Kardo disse...

Gostei muito deste poema... Aliás, é inegável que a poesia te corre nas veias. Até o teu romance tem muito de poético. Já agora, gostava que me enviasses a continuação do romance onde ele acabou aqui no blog. Obrigada... Beijos ;))

http://ausenciapazkardo.blogspot.com

http://nomadasperdidos.blogspot.com

lena disse...

tu és poesia Maria

e saudades tenho eu de te ler

de sentir esse sorriso teu enquanto saboreio os teus versos

suave, sensivel, cheia de emoção é a tua poesia, que me toca a alma

obridada por nos deixares ler o que belo há em ti

beijinhos muitos

lena

Maria disse...

Paz Kardo,
obrigada pelo elogio e, claro, que te enviarei a continuação do romance.
Para já, houve uma pequena interrupção por resolvi reformular algumas das coisas que tinha previsto para a continuação, mas fica prometido.

Beijinhos tambem para ti.
;)
M

Maria disse...

Lena,
que posso eu responder-te se fico sempre sem palavras quando leio o que escreves?!
Creio que me limitarei a agradecer o elogio e a dizer-te que muito em breve algo novo será editado aqui.

Um beijinho grande

Tino disse...

Os sentimentos puros são sempre lindos...e não digo mais nada...apetece-me!Mas não digo...ehehehehehehehehhe beijokinhas fofas para ti miga linda! ;)

Maria disse...

:)Tino, amiguito lindo,
será que já te tinha dito que às vezes és um diabinho mascarado de gente?! :)
Beijinhos e obrigada... concordamos numa coisa: "Os sentimentos puros são sempre lindos..." ;)

Eli disse...

Hmmm, o que tenho andado eu a perder...

ai ai

:)

Maria disse...

:)
Eli, a porta está sempre aberta...
:)
Beijinho
M