domingo, abril 20, 2008

134. Dividida entre duas cidades…


Dividida entre duas cidades
Numa fuga que é regresso
Num regresso que é fuga…
Rasgou-se o coração em duas metades
Fruto de sonhos de outras idades
Que agora me parecem mais presentes
Do que realmente ausentes…
E se ontem a voz era murmúrio
Hoje é um grito que se solta…
Já longe, tão longe, do rio…
Mas perto, tão perto, dessa volta…
Que a vida dá como se fosse uma roda!
Cerro os olhos, inspiro o ar frio,
Rodopio sem sair do mesmo lugar,
Ou perder o norte ou o sul,
Certa de que não sei viver sem amar…
Essa terra e esse mar…
Opostos, distantes e tão assentes em mim!
Ficar ou partir será sempre perder
Um pedaço do que sou afinal!
Sucedeu pouco a pouco descobrir
Que a vida é mesmo assim…
Algo de que não consigo escapar
Sem deixar de acreditar e lutar!
Por mim, por ti
Mesmo que só depois de renascer…
Te possa voltar a abraçar…
Nessa terra que um dia nos viu…
Inventar uma história real de amor
Que o vento não conseguiu abalar!!
Dividida entre duas cidades
Numa fuga que é regresso
Num regresso que é fuga…
Rasgou-se o coração em duas metades…

Dividida entre duas cidades…

8 comentários:

além do horizonte disse...

... Há uns anos senti isso mesmo!!
Dividida entre a terra e o mar...
Talvez por isso goste dos dias claros.
O azul do céu traz-me a cor do mar...
Depois, é como bem dizes!
Viver é assim mesmo, entre viagens, no ter que partir, na vontade de ficar

Beijinhos,
MJ

Anónimo disse...

Boas,

Com este texto acabas por descrever o que sinto quando deixo a tua terra e regresso à minha e vice versa.

Continua......

Sandro

JC disse...

Reconsiderei...
Vim só deixar um abraço!

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

Maria disse...

MJ,
:) Eu sei que me entendes... Castelo Branco e Lisboa estão entranhadas em mim, tal como tantas outras coisas e que neste momento em vez de me deixarem nostalgica me estão a dar uma força incrível. ;)
Um beijinho com muito carinho, querida.

Maria disse...

Sandro,
entre duas terras, entre todas as memórias, todos os sentimentos que nos trazem a verdade é que é mais positivo do que negativo o saldo deste nosso estado de divisão. ;) A vida, como digo, é mesmo assim... feita de escolhas.
Um beijinho grande

Maria disse...

JC,
reconsideraste... :) e eu retribuo o abraço com carinho.

Maria disse...

Ressaca,
Agradeço o convite e mesmo com algum atraso fica a promessa de visitar o espaço. ;)

Cumprimentos